terça-feira, 30 de novembro de 2010

Lindo, este poema... há anos que não recebo uma carta de amor.

Escreve-me ...

Escreve-me! Ainda que seja só
Uma palavra, uma palavra apenas,
Suave como o teu nome e casta
Como um perfume casto d'açucenas!

Escreve-me!Há tanto,há tanto tempo
Que te não vejo, amor!Meu coração
Morreu já,e no mundo aos pobres mortos
Ninguém nega uma frase d'oração!

"Amo-te!"Cinco letras pequeninas,
Folhas leves e tenras de boninas,
Um poema d'amor e felicidade!

Não queres mandar-me esta palavra apenas?
Olha, manda então...brandas...serenas...
Cinco pétalas roxas de saudade...

Florbela Espanca

3 comentários:

Kikas disse...

ainda ontem estiv com um livro de soneto da FE..estive quase a compra-lo, mas se calhar não vale a pena,pois anda alguem a mimar te com eles todos os dias...que amor.

não o conheço e já gosto dele

Este Blogue precisa de um nome disse...

Kikas

Ninguém me anda a mimar com nada :) este poema fui eu que li gostei e decidi pô-lo aqui...

Kikas disse...

oh...mas posso sonhar.

e lamento, mas eu continuo a achar que tu e o vizinho vai dar certo...pode não ser hoje, nem amanhã...nem que seja a mais linda amizade do mundo.

so eu tenho uma velha rabujenta como vizinha...nem todas temos sorte...bolas