terça-feira, 3 de maio de 2016

foi hoje o dia


obrigada, meu deus.

MC do «alto» dos seus 15 anos:


este fim de semana numa mesa com adolescentes [como há sempre cá em casa ] e que eu tanto adoro. a propósito de um dos meus disparates [ sou perita neles ]:

MC: - Oh mãe «exs » só de EXperiência: da que me trouxeste; «ex» de EXemplo do que não deves voltar a repetir e EXit : tipo baza da minha vida...

Ahahahahahaahahahahahahahah esta miúda não existe.

segunda-feira, 2 de maio de 2016

esta merda vai estourar:‏


http://observador.pt/opiniao/grande-farsa-catastrofe-anunciada/

estou assustada:  muito assustada.

isto vai ser bonito.
não contribui para esta porra toda: arrependo-me tanto do meu voto nas presidenciais. foda-se. o que é que se pode fazer? não me respondam: nada!, essa nunca foi a minha postura.

domingo, 1 de maio de 2016

sábado, 30 de abril de 2016

ontem é que a uber deve ter faturado


:-)


A propósito da Uber:

MC: - Ahahahahaah estou a imaginar a equipa da Nokia a fazer manifestações por causa do iphone...

sexta-feira, 22 de abril de 2016

domingo, 3 de abril de 2016

da minha tarde de hoje:



do amor. da guerra. da paz. dos abraços. das despedidas. dos beijos.

terça-feira, 22 de março de 2016

segunda-feira, 21 de março de 2016

quinta-feira, 17 de março de 2016

domingo, 28 de fevereiro de 2016

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

oh pá, eu também quero falar do cartaz do BE:




Ora, o grande tema da atualidade é o cartaz do BE. Qual o interesse do orçamento de Estado perante esta obra? Nenhum, a avaliar pelo alarido que está nas redes sociais. Mas, alguém me explica como é que esta merda incomoda tanta gente ? Foda-se eu com um cesto cheio de roupa para passar a ferro e tanto people sem nada para fazer?
Tudo que vem do BE não tem ponta por onde se lhe pegue, is just my opinion, ok? . São uns utópicos e nunca há uma ideia com a qual valha a pena eu perder o meu precioso tempo. São uns sonhadores, uns líricos com ar de sujos: é só olhar para aqueles cabelos. Gostam de chocar. Enquanto eram oposição considerava-os necessários à democracia, porque achava graça ao contraponto que faziam. Agora, chegados ao poder provaram que são uma nulidade e que não percebem MESMO nada disto. Estavam melhor no teatro de onde a Fiona Anã , ai desculpem a Catarina Martins nunca deveria ter saído. Ainda outro dia, um amigo enviou-me uma intervenção de um deputado do BE de sua graça: José Soeiro e conclui que passou-lhe ao lado uma carreira de guionista de telenovelas para a TVI. É um partido que não defende um único valor que eu partilhe, nunca fizeram nada que seja digno da minha admiração. São uns tótós que não diferenciam nada nem ninguém: tomam-nos a todos por iguais: quer trabalhemos muito ou pouco; odeiam ricos e o ideal é tirar a estes para distribuir pelos que não fazem uma porra. Esta gente é um asco e enojam-me. Tiro-lhes a pinta - em três tempos - quando me cruzo com um na rua. Mas, têm o direito a existir, a ter opinião, a fazer cartazes e até - vejam lá! - a ter assento na AR. É que desculpem lá, mas não podemos ser charlie só quando nos dá jeito. Eu cá sou charlie todos os dias [mesmo esta história de ser charlie dar para uma longa conversa de tinto na mão].
Sendo católica praticante, este cartaz não me choca nada. Primeiro, pelos motivos que já expliquei: quem o encomendou não merece sequer que perca um minuto do meu dia a olhar para ele. Não sei o que lhes passou pela cabeça, provavelmente o de sempre: vento. Se isto era para chocar: esqueçam, a mim não me chocou nada. Mas, pelos vistos chocou muita gente.
Nós [católicos ] não somos um todo: há quem seja histérico e considere isto um insulto a Jesus Cristo, eu acho mais, que isto é a prova mais que provada que os gajos querem é que falemos deles [como eu o faço neste texto]: bem ou mal, não interessa: temos é que falar. Mas, não o faço por eles faço-o num exercício de tentar entender porque é que tantos católicos se sentiram ofendidos com o cartaz. Então não condenamos TODOS o ataque ao charlie hebdo? E atenção que não quero comparar a brutalidade do que aconteceu em Paris a este cartaz. Mas, o principio é o mesmo: não são eles livres de dizerem / fazerem sátira do que quiserem? O que é que interessa quem ali está? Podia ser Buda, Maomé, JC... o que é que é que essa merda importa? Sejamos mais tolerantes, defendamos a liberdade de expressão, olhemos uns pelos os outros, aliás não é isto que ouvimos nas homilias de Domingo. Porra, caguem na merda do cartaz. Ai foda-se que também acham que nós - católicos - não dizemos palavrões. Olhem, azarito eu sou, digo e não os confesso ao Padre. 

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

é


só mando meu cérebro lembrar-se do meu amor. não quero pensar: só lembrar. espero que em breve o esqueça. é esse o objetivo do exercício :-)

acabaram-se -me os cigarros


e é inevitável pensar em ti. ou aliás: lembrar-me de ti: de pedir para os ires buscar, para mos trazeres, para eu ir lá ter.
deixa: não fumo ou então vou aqui: à bomba ao lado de nossa casa.


terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

não pensem que a fotografia do último post

foi escolhida ao calhas. adoro o look.

afinal dava para viver em duodécimos


a comissão dá mais 3 semanas e entretanto chega março.

que fantochada.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

eu para aqui apaixonada e

mete-se a minha vida de sopeira pelo meio: deixei a puta dos ovos - do bacalhau à brás - colarem ao tacho e não tenho palha de aço em casa.

★‏


sim, acontece-me


morrer de amor. é uma morte passageira, mas de quando em vez acontece.

The Waterboys - The Pan Within

hoje morri


foi por volta das 9:57 da manhã.
reparei em ti, não olhei: não posso. respirei fundo, o coração disparou ao sentir o cheiro, bateu tão descompassado que enquanto gritava às pernas para não tremerem, parou.
por volta das 10h voltou a bater, talvez pela força da necessidade.


domingo, 24 de janeiro de 2016

ahahahahahahahahahah


hoje há aquela trampa da casa de não sei o quê da tvi?

é que aposto que os abstencionistas estão agarrados aos telefones a votar naquela merda.
não têm que desalapar do sofá... deve ser por isso.

se eu soubesse que a votação {no marcelo} ia rondar os 53%

tinha votado no henrique neto.

pelo discurso do jerónimo de sousa,

amanhã os outros 9, vão fazer um ajuntamento e tentar usupar o cargo de presidente eleito...


ups... não dá!

desabafo de tino de rans a um jornalista da sic:

- parece que estou a viver um sonho... será que estou a sonhar?


ahahahahahahahahahahahah
top.

o que eu dava

para o tino de rans ficar à frente do edgar, adorava...

oh pá

a marisa matias ficou à frente da maria de belém... deus meu! isto está bonito...

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Eu te Amo



« {...} Como, se nos amamos feito dois pagãos {...}».

da minha intenção de voto:


durante os últimos anos, não se vislumbrando uma única possível candidatura de jeito, fiquei a pensar que se calhar o Professor Marcelo, lá se chegava à frente. chegou-se. na altura, do anúncio, decidi: era nele que ia votar. depois, começou a pré-campanha e achei: ai se calhar, o henrique neto é que tem mais que ver comigo e com os meus ideais. entretanto a minha família começa a massacrar-me a cabeça, com a utilidade do meu voto e começou a campanha. e só bos digo: estou com a minha cabeça feita em água.
domingo trabalho o dia todo, mas vou votar logo na abertura das urnas e acho que começo a pensar que sem o meu voto pode haver uma segunda volta e estes gajos já fodem tanto dinheiro em faqueiros, que se calhar o meu voto tem que ser útil.
logo eu. o meu voto não é útil há anos... {ou se calhar. foi... sem eu ter essa consciência}.

disto das redes sociais



tenho um blogue, ao abandono é certo, mas ainda o tenho. trabalho com elas {com as redes que falo no título deste post} no meu dia-a-dia; trazem-me comida para a mesa, também é certo. MAS, esta porra é de uma hipocrisia sem fim. foda-se, isto de nos escondermos atrás delas para debitar imbecilidades e nada fazermos para mudar esta porra toda, é triste: muito triste. além de ser uma tristeza, a mim revolta-me: denuncia-se, insulta-se, dizem-se uns palavrões à mistura, MAS fazer alguma coisa?, está queto ! isto tudo para vos dizer que a Educação está pela rua das amarguras {quem dizia mal do Crato levou com um Tiago que nem vos digo nem vos conto: o gajo é top! [not!] } e a assembleia - geral de pais da escola da MC - num universo de 900 alunos - ontem teve 16 pais, 11 dos quais eram da associação de pais.

sabem que lhes digo: ide-bos foder! sou voluntária, dou horas de trabalho para aquela escola ser melhor e - eles - demitem-se assim do trabalho de encarregados de educação?, foda-seeeeee.olhem, ontem jantei às 23h30, hoje acordei às 06h30 e vou já de seguida trabalhar para a escola da minha filha. isto do estado paternalista é para outros: não para mim.

nota: não apareceram, mas espero que não se esqueçam de ir votar domingo. e já agora, alguém que se lembre de tirar este [des] governo de são bento. 

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

sábado, 2 de janeiro de 2016

oiçam isto com um copo de tinto na mão e sejam felizes :-)

há um ano que procuro as palavras


perdi-me delas a 1 de janeiro de 2015.  perdi-me de mim. dei voltas e mais voltas e não consegui reencontrar-me. sempre as escrevi como um caminho de pedras: perdia-me, mas guiava-me - por elas - para voltar a mim. não as tenho, não voltei. estou meio perdida. 
outro dia - há muito poucos dias - guiada por um choro aflitivo, fui ter com uma criança que estava perdida num jogo labiríntico, alguém a deixou entrar, tinha pouca idade - 4 anos - para ali estar, mas entrou. quando entrou, gritou: «tirem-me daqui, estou presa». cheguei lá, indiquei-lhe a saída, não conseguiu sair. fui buscá-la, agarrou-se a mim com toda a força, tremia e só dizia: «leva-me, leva-me daqui». eu trouxe-a em segurança. ainda assim aquilo que eu entendo por segurança: um abraço apertado e palavras serenas, ditas em voz baixa não foram o suficiente para ela: ela ali ficou aninhada no meu colo, com a irmã gémea a gozar: «só choras, eu saí». a maria recuperou a respiração, o fôlego e foi brincar para a casinha das bonecas.
acho que é isso que eu - feita pateta - {calma, não estou a chamar a maria de pateta: eu é que sou pateta: a maria tem 4 anos, eu tenho 42} estive à espera: que me viessem buscar. mas, ninguém tem essa capacidade: só eu. chorei muito na passagem do ano, não fiz balanços como - quase - todas as bloggers que leio fizeram. eu só chorei.
nas únicas palavras que me reencontro são: amo-te perdidamente, só já não gosto de ti.*

* as palavras que te disse no natal

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

foi a mc que me leu este testemunho:


AQUI

agora, há pouco, soubemos que o conselho de administração do hospital demitiu-se.

isso traz o David de volta?

«estamos entregues à bicharada» , diz o meu pai e tem toda a razão.

GRANDE MARTIM :-)



pelo empreendedorismo, mas também pela resposta.
poupem-me a demagogias e abstenham-se de ler os comentários que estão no vídeo do youtube. aposto que a senhora é do BE. É que aposto...
que culpa tem este jovem do valor do ordenado mínimo?

sábado, 19 de dezembro de 2015

"Dear dad"

ora bem

em 24 horas perdi 98 seguidores, por aqui, pelo blogue. será a altura de fechar esta merda? :-)

Adriana Calcanhotto - Uns Versos



Sou sua noite, sou seu quarto
Se você quiser dormir
Eu me despeço
Eu em pedaços
Como um silêncio ao contrário
Enquanto espero
Escrevo uns versos
Depois rasgo

Sou seu fado, sou seu bardo
Se você quiser ouvir
O seu eunuco, o seu soprano
Um seu arauto
Eu sou o sol da sua noite em claro,
Um rádio
Eu sou pelo avesso sua pele
O seu casaco

Se você vai sair
O seu asfalto
Se você vai sair
Eu chovo 
Sobre o seu cabelo pelo seu itinerário
Sou eu o seu paradeiro
Em uns versos que eu escrevo
Depois rasgo

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

a propósito da sentença, que saiu hoje, dos pais que mataram a bebé de 4 meses:

sou só eu que acho 25 anos uma pena manifestamente leve?

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

isto é um murro no estômago


Vamos ajudar. Nem consigo imaginar a dor destes pais e eu aqui a queixar-me de estar a tratar de coisas da minha filha. Isto foi um murro que me deram. Retiro tudo o que disse: tenho todo o gosto em trabalhar voluntariamente para a escola da MC. Vou já fazer a transferência.

eu merecia ganhar um ordenado

da escola da MC. Porra, meto-me em tudo e estou há horas a tratar de coisas: ele é para a Associação de Pais, ele é para a turma. Porra, caralho, já estou farta.

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

sábado, 28 de novembro de 2015

Hoje quando entrei no supermercado

esbocei um largo sorriso: aquelas crianças {das guias} vestidas a rigor com um sorriso aberto, com um saco de papel a pedirem-me ajuda para uma causa tão nobre: o banco alimentar . fiquei comovida: lembrei-me da minha boneca com a idade delas, a pedir ajuda, ali naquele mesmo lugar: o lidl. a mc hoje faz outras campanhas comigo: nas quais sou voluntária. só por uma questão de logística da nossa dinâmica familiar, a mc deixou o banco alimentar. Mas, hoje comovi-me ao lembrar-me da minha filha tão pequenina, com aquela mesma farda. hoje estamos noutras frentes, mas com o mesmo objetivo : ajudar o próximo. ajudem esta causa:


porque a generosidade também se ensina: o que sempre acreditei e o que espero que a minha filha tenha aprendido.

de hoje à tarde:



Eu não sei dizer
O que quer dizer
O que vou dizer
Eu amo você
Mas não sei o quê
Isso quer dizer

Eu não sei porquê
Eu teimo em dizer
Que amo você
Se eu não sei dizer
O que quer dizer
O que vou dizer

Se eu digo pare
Você não repare
No que possa parecer

Se eu digo siga
O que quer que eu diga
Você não vai entender

Mas se eu digo venha
Você traz a lenha
Pro meu fogo acender

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

do amor



do meu primeiro amor. tinha 16 anos. amor pequenino, digamos...

hoje ouvi esta música na rádio e lembrei-me do joão.

isto é de vómitos:


tudo aqui.

não sou apologista de manifestações, greves e afins. mas, pelo amor da santa, vamos aguentar esta corja outra vez? vamos assistir a isto de braços cruzados?
sempre achei que pior do que o sócrates era impossível: enganei-me.

bom dia, luz


quarta-feira, 25 de novembro de 2015

25-11-2000


parabéns, minha boneca. muitos parabéns.tenho muito orgulho em ser tua mãe: mesmo quando vens com esse mau feitio [igualzinho ao meu :-)]

nota: dá para tirares estes adolescentes cá de casa? quero ir dormir.

terça-feira, 24 de novembro de 2015

comentário lido num outro blogue:

«Injustamente nenhum ministério foi atribuído a Paulo Pedroso».

no 31 da armada

a minha índia



faz amanhã anos. dois dos 6374683274910 planos que tem para o dia em que faz 15 anos [porra! já tenho uma filha com 15 anos];

- queria chegar 5 minutos atrasada à primeira aula com o intuito de entrar na sala e todos se levantarem e gritarem: «parabéns, MC!» e começarem a cantar. com a graça de nosso senhor jesus cristo desistiram da ideia: a primeira aula é com a diretora de turma;

- vai lanchar com os amigos vestida de princesa.

não são só estes dois, mas não vou pôr-me para aqui a contar tudo, num é?




«Calma. Não se costuma viver mal durante os governos PS. Só depois.».

31 da Armada

ahahahahahahaahahahahahahahahahahah muito bom. temos que rir, que isto é mau demais.

here we go againnnnnn



segunda-feira, 23 de novembro de 2015

domingo, 22 de novembro de 2015

já estou de copo de tinto na mão

demoras?

alguém devia explicar aos jornalistas da sic

que os dias podem estar soalheiros e não solarengos. digo eu...

das arrumações


tenho duas gavetas praticamente vazias: podes vir.