sábado, 28 de fevereiro de 2015

adoro o género, mesmo nada tendo que ver comigo


tiê.

vá lá saber-se porquê


ela também não sabe explicar: só tem dois anos - a minha sobrinha chama-me «tia abóbora».

será que me acha gorda?


nota mental:


já não tenho idade para noitadas como a de ontem.

tenho a sala

cheia de crianças, sim desta vez são crianças. crianças essas que a mc gosta como se fossem primos de verdade. tenho medo que o meu forno não aguente com tanta pizza...

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

ideias adaptadas cá para casa:


não tens do que te queixar, rita


há pouco estava ao telefone com uma amiga e dizia-lhe:

- foda-se! tenho que arranjar mais trabalho. esta merda assim não dá. só trabalho para pagar contas. tenho que viver. não janto fora, não almoço fora há meses. estou farta...

passada meia-hora ligam-me da associação de pais da escola da mc:

- rita, amanhã vamos almoçar ao refeitório da escola dos miúdos para ver se as queixas têm fundamento...

caraças, é amanhã que almoço fora, vou almoçar peixe e só vou pagar 1.46€. ah! pois...

a mc na mesa a fazer um trabalho


para a cadeira de «educação para a cidadania» sobre os alcoólicos anónimos. pego num copo de vinho e pergunto:

- queres ilustrar o trabalho?

proantos estivemos meia-hora a rir. valha-nos isso: rimo-nos como umas perdidas.

ai, dr.ª joana, pelo amor de deus... nãoooooooo


a mc ontem deu um tombo numas escadas. ligou-me aos gritos, a chorar como uma desalmada. lá fui eu, toca de largar tudo e ir a correr como uma louca. não me pareceu nada de preocupante, mas à noite, pese embora tenha posto gelo achei que aquilo estava assim... a modos que esquisito. hoje fomos as duas à vida. agora há pouco fomos ao hospital, entrámos na urgência só para ver se estava tudo bem. diz a ortopedista:
- oh mc, não sei se se justifica usares muletas...
- ai sr.ª dr.ª isso é dar-lhe uma arma branca... pelo amor da santa...

chegou cá fora e diz a mc:

- eu de muletas, amanhã na escola, espancava-os...

dás-me cabo da cabeça


mas gosto tanto de ti.

tão eu


« {...} Se o errado pra mim for o certo
Eu não me importo, eu me entrego {...}
Entregue-se àquilo que te faz sentir.».

Tiê

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Tiê - Entregue-se



Eu me entrego pros dias de sol
Pra camisas de banda e até pra chocolates
Ou filmes de romance esquecidos na estante
Pros perfumes que deixam boas lembranças
Pras risadas que me tiram todo o ar
Às cores vibrantes do seu tênis
Que caminham em minha direção
Caminho devagar, se o tempo for bom
Não pense muito
No fim, tudo se adapta
Se alguém te deixou cego
Não questione, simplesmente vá
Se o errado pra mim for o certo
Eu não me importo
Se o errado pra mim for o certo
Eu não me importo, eu me entrego
Eu me entrego à sua bagunça na minha sala
A um bom livro antes de dormir
Ao hoje, ao agora e ao talvez…
Ao compromisso de realizar meus sonhos
Desapego até dos meus esconderijos, aos berros
Deixe a deixa aberta, aperte um sorriso
Num mundo colorido pra que viver apenas uma cor?
À música estrondosa, à casa vazia
Chão gelado e silêncio interior
Às bocas vermelhas, às meias de lurex
Às unhas compridas, tudo junto, só se for
Se o errado pra mim for o certo
Eu não me importo
Se o errado pra mim for o certo
Eu não me importo, eu me entrego
Eu me entrego apenas quando souber
Que o que iremos passar vai ter valido uma canção
Meia hora a mais na cama na segunda-feira
Um dia chuvoso bem em baixo do edredom
Ao colo de quem me aceita assim
A tudo que puder antes que a cortina feche
Até de malas prontas, me arrisco a compor
De um jeito que ninguém sabe
Sem sonhar com os pés no chão
Entregue-se àquilo que te faz sentir (3x)
Entregue-se àquilo que te faz.


Pois também recebi {clicar em cima do link} e pensei: esta merda não é para mim com toda a certeza. Eu uma gaja decente, que não asneira, mãe, trabalhadora, uma pessoa como debe de ser. isto não é para mim.
pois, diz que sim, que é. só pode ser de todas as vezes que mandei os gajos: das finanças; da segurança social; da nós; da edp; da indaqua; do pingo doce; do santander totta; dos condutores incivilizados... para a grande p*** %T&UT&(/&. Pois, está visto: só faltava mandar os Senhores da Google. Mando  agora.

E depois vêm com os " je suis charlie!" e o diabo a 4. ide para o raios que vos parta. fechem-me o blogue, façam lá o que quiserem, mais depressa migro esta merda toda para outro lado.

do último fim de semana


terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Marcelo Camelo - Meu amor é Teu


Mallu - Pitanga (Teaser)


andava enganada, está visto


eu sempre achei... é que SEMPRE achei MESMO, que as caixas dos bancos eram para fazer depósitos. pois, parece que não. também dão para pedir cartões, para pedir extratos, para se conversar do jantar de ontem, quais os planos para as férias, fazer aplicações, olhem uma ramboia, só vos digo... e uma pessoa ali à espera... por acaso!, é que pus-me logo ao fresco.
no santander e no barclays é prática comum.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

será que em odivelas o monte seria daquele tamanho?


fui agora ao quarto da mc levar-lhe a botija da água quente. aos pés da cama tinha um monte de roupa, que faria o everest corar de vergonha.

- mccccccccccccccc o que é isto?

- caramba, mãe. achava que estava mesmo bem escondido...

Kiss



uma das minhas músicas. de sempre.



e eles dançaram


sem música, ela - ainda - se lembra.

como é que ele não, se foi ele que a puxou para dançar?*

* post do meu outro blogue.

para os mais atentos:

sem arrependimentos.

R.

domingo, 22 de fevereiro de 2015

ao «meu» M. :


quando ontem preparava-me para descansar de uma porra de um dia passado no hospital, recebi muitas mensagens tuas. efetivamente, quando algo nos marca e fica inacabado, a mente leva-nos aos mesmos lugares: o nosso, é o mar. nunca ninguém me disse as coisas que disseste. por isso tenho - no meu quarto - um quadro com uma frase que me escreveste.

a maturidade e a sensibilidade nada têm que ver com a idade. fiquei certa disso, ontem. é provável que nunca vivamos o que tanto desejas, mas já valeu tantooooo o que me disseste ontem. obrigada :-) meu querido M. nunca percas essa genuidade. essa autenticidade que a puta da vida às vezes nos leva. a mim, ainda não levou. mas, tem feito tantas tentativas ... foda-se.

finalmenteeeeee


a madame escolheu.


sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

esta jubentude tá perdida é um facto

 
 [é assim que a imagino]

uma leitora do meu blogue mostrou as calças douradas, que eu quero, à filha. comentário: são muito giras e que dão para o disfarçe de ... aladino.

perante isto, vou recolher-me à minha insignificância. mas, já prometi que tem fantasia para o próximo carnaval :-)

MULHER!?

há pouco no carro:

- oh mãe, hoje tive que dar um estalo ao joão e atirei o tiago abaixo da cadeira...prepare-se que já vem email da diretora de turma...
- ???? oh mc, estou a ficar cansada de tanta coisa, que foi agora, rapariga?
- a mãe vai entender-me, é uma coisa de MULHERES. Eles mexeram-me na carteira e a pior coisa que podem fazer a uma MULHER é andarem a mexerem-lhe na bolsa...
- ????

Mulher?! Mulher!? mas, que mulher, pá? a miúda está doida só pode.

já não tenho muita esperança nos homens do futuro: levaram na cara, mas foram almoçar todos juntos. deus meu...

ora bem

parece-me que fiz «as pazes» com a segurança social. mas as letras e a faludura que tibe que abotar... bocês nem sonham...deumalibre!

cá beijinho, ministro mota soares

estou tão mas tão orgulhosa de ti

até já chorei.

achava eu que nunca me ouvias


estava enganada. pelos vistos, ouves tudo.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

não, não venham com pedras


a escola pública é uma merda. não sou - de todo - uma mãe que se tenha demitido de participar da vida escolar da mc. não sou: faço parte do conselho de turma e pertenço a associação de pais. mas, a escola pública não me enche as medidas. a minha filha andou até ao 4º ano em escolas privadas {graças ao esforço do pai dela } e essas sim, não achando tudo ótimo, achei tudo bom. quisera eu ter dinheiro para pôr a mc num colégio, que não tenho, e punha-a... não sei é em qual: é que aqui no porto, acho tudo uma valente merda. prometo voltar a este assunto em breve...

mc a imprestável


a minha filha não me tem serventia nenhuma. podia ser daquelas filhas amorosas que nos dão massagens nos pés, que nos fazem o jantar, que nos faz a cama TODOS OS DIAS, que nos faz cafuné até adormecermos. nada. ela não faz nada. há pouco:

- mc, vou adiantar o jantar, fica atenta à salamandra que não temos mais acendalhas, nem pinhas, se apagar, acabou. não há como aquecer a sala... ouviste?

- claro que ouvi, mãe. vou estar atenta...não se preocupe.

passados 20 minutos entro na sala e estava um frio de rachar. olho para a salamandra só não estava em formato de glaciar, porque não calhou.

- então, mc? o que é que te pedi?

- ohhhhhh distraí-me...

{isto com o telefone na mão}

apetece-me mete-la lá dentro e chegar um fósforo. e ao telefone era atirá-lo contra uma parede.

mais ou menos isto:


não gosto do look, só das calças mesmo.

quero umas calças douradas


mas porra, não encontro como quero em lado nenhum. com uma ajudinha vossa, arranjava de certeza. ajudem-me :-)

em tempos não comprei estas, aqui vestidas pela Maria Guedes



http://mariaguedeslisboa.clix.pt/2012/08/fancy-pants.html

são bimba y lola. agora nada a fazer. onde encontro umas, por favorrrrrr?

top


adoro. especialmente os óculos.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

bem vindo, mateus

 
tenho certeza que vieste para nos encher - mais - a vida. bem vindo, meu querido. que sejas muito feliz. tens aqui uma tia que vai encher-te de mimos como já faz aos teus irmãos. tenho-vos como família de coração. hoje chorei quando vi a mensagem que os teus pais me mandaram. vou estar sempre aqui, para o que der e vier. e também já tens a promessa da mc que vai matar-te de mimos e ser tão tua amiga, como já é do T. e do D. tu - ainda - não sabes, mas já temos férias marcadas: todos juntos. és tão bonito, meu bebé.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015



essencial: rir juntos e das mesmas coisas, é o que acho.

devo ser a única gaja no raio de 27,598 km


que está a trabalhar. a única.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

domingo, 15 de fevereiro de 2015

inconvenientes de não ter um homem em casa # 1


{nem sei para quê enumerar este post é que só vejo mesmo este, mas proantos bamos ter esperança}
 
hoje fui à garagem buscar lenha. costumo levar um saco do ikea, encho-o e depois arrumo tudo ao lado da salamandra. quando fui para empilhá-la no chão da sala, reparo que havia qualquer coisa a mexer-se dentro do saco, olho bem, e o que era? perguntam vocês. não perguntaram, mas a fingir que sim. era uma sardanisca do tamanho de um dinossauro acabado de nascer. gritei, pois está claro. não sabia o que fazer, a MC largou num berreiro e era vê-las {ela e amigas} no sofá com as pernas levantadas. e eu? eu...só pensava: foda-se, queria agora aqui um homem para lhe saltar para o colo e continuar feita histérica, ou poder saltar para uma cadeira e gritar: apanha-a tu! apanhaaaaa-aaaa... mas, não há disso cá em casa, logo tive que me fazer à vida. foda-se, ainda havia lenha dentro da puta do saco, fechei aquela merda, a gaja ao ver-se presa, começou a ficar agitada e eu só pensava: o que faço a esta merda?
 
gritei: oh mc, deixa de ser neurótica e vai abrir a porta de casa...
 
fui pelo elevador a rezar para não me dar um fanico e aquela merda cair, a gaja sair do saco e eu ficar fechada naquele cubículo com ela. saí do prédio, cheguei ao jardim e atirei com a merda do saco para o chão. a vaca, ai desculpem a sardanisca fugiu para o meio de um canteiro e eu aqui estou a tremer que ainda não me recompus.

palavras que podiam ser minhas:

« Eu sabia que nunca te ia tirar uma fotografia.
Mas sempre soube que podia escrever o texto que quisesse sobre ti.
Ainda não sei bem o que é o que o tempo nos queria dar quando nos juntou. Não percebi o que é que a vida nos quis oferecer, nem o que é que nos tirou. Ainda não sei qual é a lição que vou levar do tempo. Nem por quanto tempo o vou sentir, com esse nome que se dá às coisas sem nome que se demoram em nós.
Não sei se o lucro infindável de tudo o que poderia ter sido, vai ser o melhor trunfo sobre tudo o que realmente foi.
Às vezes confunde-me não ter dor concreta, senão o vazio.
Ás vezes perco-me a recordar, sabendo que a minha imaginação generosa, convida e entrar no caos das memórias, cenas que nunca tiveram espaço, tempo ou circunstância.
Eu sabia que nunca te ia tirar uma fotografia.
[...]
Eu sabia que nunca te ia tirar uma fotografia porque a força do que é agora, não se deixa embebedar pela promessa do que pode ser.
Mas eu não me importo.
Nem me importo das saudades que tenho, porque lhes reconheço um capricho de uma história que não cheguei a viver.
 [...]
Eu sabia que nunca te ia tirar uma fotografia.
Mas sempre soube que podia escrever o texto que quisesse sobre ti.».


Isabel Saldanha

sábado, 14 de fevereiro de 2015

são os livros

e um quadro que pendurei no meu quarto que diz: « adoro ver-te entrar no mar, RR»

não por quem a disse, ou melhor: ma escreveu, mas sim pelo que diz de mim.

quem entra neste mar gelado - da minha terra - daquela forma descontraída?

enquanto lia a ana de amsterdam

neste post pensava que pese embora tenha alguns livros na minha mesinha de cabeceira, estão lá dois que não estão para voltar a serem lidos; não, para já. estão lá porque sorrio de cada vez que os vejo e toco-lhes de forma especial. eu toco todos os livros: acaricio-os, abraço-os, olho-os embevecida, mas por estes dois, faço muito mais e por vezes, chego a beijá-los, sim. aqueles dois, tenho-os ali por outros motivos: não os quero sozinhos numa estante, quero-os junto a mim, que saibam que ali estou, sempre e que não os vou deixar. um foi escrito pelo meu almor e como é lógico não vou desvendar o título; o outro foi-me oferecido pelo meu cigano e adoro-o: cem anos de solidão. engraçado que o R. ofereceu-me mais livros, mas só aquele ali ficou, talvez por ser do GGM.
 
tenho dezenas de livros, mas estes acho que nunca vão sair dali: do meu lado, a velar o meu sono.

das coisas que a mc me mostra e eu gosto:



estou a chorar a rir, caem-me as lágrimas pela cara abaixo.

«{...} tenho saudades do noddy, esse noddy é um senhor{...}»

ahahahahahahahahaahahahahahahahah

ahahahaahahahahahahahahahahahah

"Solicita-se cupido novo e responsável. O meu droga-se."

 Rita Leston

exatamente.

obrigada, nuno



a tua amizade, o cuidado constante que tens comigo, deixam-me os olhos rasos de água.

foda-se, até me levantei da cama

escondi o vinho, os patés e os queijos, não vão elas acordar mais cedo e porem-se com ideias :-)

Mallu Magalhães - É Você Que Tem (letra)


última hipótese:

vinho tinto; queijos, patés; bifes de frango; bolinhos de bacalhau; pataniscas de bacalhau também; salmão fumado; ovos; massa; arroz; sopa; queijo sem nada; fiambre sem nada; pasteis de massa filo com brócolos {já há poucos: têm que dividir}; bifes de perú; manteiga sem nada; chocolate {este iam adorar}; cerveja... afinal, não sei porque é que me preocupei. há imensa coisa. vou dormir descansada...

JÁ SEEEIIIIIIIII

vou correr tudo a barritas {que encontrei agora na despensa} e a leite com chocolate. também há a hipótese de lhes dar 3, vá... 6 cereais numa taça enormeeee de leite. elas que escolham...

que mania que esta miudagem tem:

vêm para aqui sem ME avisarem com pelo menos um mês de antecedência.

ora veemmmmm

amanhã tenho que dar pequeno almoço a um grupo de adolescentes, considerações:

- esqueci-me de comprar pão, foda-se;

- só tenho pão com sementes. egoísta, eu sei;

- não tenho cereais que cheguem;

- quero dormir até às quinhentas: não me imagino a levantar-me para fazer panquecas e dar aquele ar de mãe fantástica: não sou essa merda, nem quero;

- tenho uma almoçarada à 1 da tarde em casa de uma amiga. parecerá mal, levar a cambada esfomeada? hummm, também não me parece solução...;

- será que se me fizer de morta de manhã, elas vão para casa contar tudo?;

ora, vou para a cama ler e deixar-lhes uma nota na mesa da entrada para irem pequeno almoçar fora, parecerá mal, também? esta minha mania que o pão de forma é uma merda, lixou-me agora!

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

a mc foi a um jantar


fui lá leva-la. estive a UMA HORA E MEIA À ESPERA QUE A EX.A SE ARRANJASSE...
arre...


e o que me aconteceu foi para fortalecer o caminho que decidi fazer. tornou o chão mais firme e sinto-me - tão - grata por isso.

acredito que é este o caminho


evito-te, de quando em vez é inevitável e lá nos cruzamos. já não paro. olho-te {repara que já não te vejo: só olho}, cumprimento de forma educada. abres um sorriso, aquele sorriso. aquele que acredito que é só meu. eu já nem tenho expressão facial, se sorrir escancaro a porta de novo e tu entras. e se há uns anos entraste e te aninhaste, nos últimos tempos que o fizeste, sentaste-te no sofá da minha alma e esticaste os pés em cima da mesa. passamos um pelo o outro e ainda fazemos uma barulheira, mas já só nós ouvimos, não o partilhamos. ignoramos e arrepiamos caminho. cada um segue o seu caminho. já não há cafés, não há partilha, não há mensagens, não há conversas no parapeito da janela, não há post-it por todo o lado, não há entendimento, não há sorrisos cúmplices, disparates. só há um barulho silencioso dos nossos corpos, que fomos forçados a calar. permaneceremos, para sempre, na vida um do outro, mas em silêncio, porque acredito que este é o caminho.*

*texto do meu outro blogue: o secreto.

{private post}


acho que estou no bom caminho: já não me lembro do cheiro.

que sono deus meu


se não soubesse da minha vida, diria que estou grávida.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

"Porto, Mon Amour" | a cidade que me adotou há 41 anos


como é que é, minha gente?

entopem-me a caixa do email do blogue com publicidade para o dia dos namorados e para o dia do pai.

esclarecimento (s):

- NÃO TENHO NAMORADO  e nem que tivesse jamais lhe daria um presente dia 14;
- NÃO TENHO UMA RELAÇÃO próxima com o meu pai, vou pegar nesse dinheiro e comprar um presente para mim. estamos entendidos?

então parem lá com essa merda.

aos haters:

não venham para aqui foder-me o juízo, as mangas são de pele FALSA. antes que venham os do costume para aqui, lixar-me a pinha e linkar o meu blogue em tudo que é página de associações de defesa dos animais.

homens, pfff


é que não percebem nada disto.
nem todos os dias ando de vestido e saias, era o que mais me faltava. há dias que ando de calças de ganga, sempre com alguma coisa diferente, com um toque qualquer. sempre.
hoje estou de jardineiras e de pullover. pronto, foi o suficiente para o meu gestor* pedir-me para ter em conta quando vou ao banco. tipo: quando cá vieres, não venhas com essas calças que não te favorecem.
- ????
Não percebe nada disto. É que nada, mesmo. Só as minhas mangas de pele dão o ar todo à toilette. é doido, um dia destes está a pedir-me para rir baixo.
 
* à atenção da navegação: isto é uma brincadeira: é meu gestor há tantos anos - há 23 precisamente  -que já somos amigos.

se eu escrevesse um livro

´
só com os emails que troco com o meu gestor de conta, dava um best-seller. é que não tenho a mais pequena dúvida. estou no sofá à gargalhada. vou agora ao balcão rir-me mais um bocado e fazer-me a um cafézinho à borla... até tenho a barriga a doer. e só bos digo: não tenho um tusto, se fosse rica e uma gaja com dinheiro para aplicar é que ia ser...

a vida cá fora deve ser uma real seca


ontem no carro:

- eu e a maria já decidimos...

[esta é sempre a parte que entro em apneia]

- ... quando fizermos 18 anos vamos entrar na casa dos segredos...

- ?????

{é que a miúda nunca viu aquilo, mas ri-se das respostas que as concorrentes pelos vistos não dão. naquela escola sabe-se tudo}

esta fotografia é do melhorzinho que já vi


um dia vou tirar uma assim com o ministro mota soares. depois, fazemos aquele jogo que adorava quando era miúda: «descubra as diferenças».

isto é simples:


os funcionários públicos {a maioria, calma. não venham já para aqui insultar}, têm quatro chapas em frente aos olhos e só sabem ler o que lá está. ora, se lhes fazemos uma pergunta e a resposta à mesma, pressupõe terem que ler 1/3 de duas placas, está fodido: caem as placas todas ao chão. e agora sou eu que as tenho que apanhar? está bonita esta merda, está está...

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

a mc mostrou-me este vídeo, agora mesmo



eu chorei e ela chorou pelos mesmos motivos que eu...

ao jantar

comi beterraba para os próximos 7 anos e meio. adoro, mas hoje acho que exagerei. até tenho medo de não conseguir dormir.

a mc foi para a casa de banho esticar o cabelo


podem esperar para ler mais peripécias dela lá para a ceia de natal de 2017.

a miúda deve achar que somos acionistas da EDP.

do que a mc gosta e eu também



está a ouvi-la agora. é linda esta música.

chega aqui perto de mim, Uma


deixa-me perguntar-te ao ouvido:

- que foste fazer, filha?

carago o home não pode fazer nada


não pode trair não pode dar festas, porra!

depois da fotografia que escolhi, aposto que não leram nada do que escrevi.

coitada


diz que era traída.
a sério? oh pá, eu não acreditoooooooo

ahahahahahahahahahahahhah

mc a olhar para a televisão:

- ai este filme « cinquenta sombras de grey» deve ser muito giro...

ahahahahahahahahahah está certinha, a chabala.

se a mc entrava na cozinha, era eu que ia interna para odivelas


estava a descongelar lasanha para lhe dar {não, não era congelada: estava congelada, mas fui eu que a fiz}, aquela porra começou a ficar tostada por cima e eu pensei: não vou abrir um pacote de natas para salvar isto, nem fazer molho branco. Abri a porta do frigorifico e o pacote de leite a sorrir para mim, olhem: aqui bai disto... se ela via, morria...
quando perguntou o que era aquilo por cima.
- molho bechamel, então o que havia de ser?
não se queixou, deve ter ficado bom :-)

ahahahahahahaahahahahahahahahah

estou a ver o telejornal da sic. alguém me explica o que é que aconteceu ao cabelo da clara de sousa?

Eu e a MC ontem de manhã:


eu já aos gritos:

- oh MC, vais perder a boleia, acaba lá o pequeno-almoço...

- se tomo é porque tomo, se não quero comer nada é porque não como nada e porque vou sentir-me mal e blá blá...

- não é isso: o tio r. está a chegar, despacha-te. se não estiveres pronta daqui a 10 minutos ele passa e vai embora, anda lá, caramba. estás de cabelo molhado ainda, nas calmas e a alimentar o quê? o instagram? anda lá...

- já vou...

{a passo de caracol a caminho de casa de banho}

- e vê se pões um creme hidratante nessa cara que o frio dá cabo da pele...

- ai isso era o que faltava: fico com a cara brilhante. a mãe já viu o meu nariz? parece que estive a puxar-lhe lustro toda a noite, não posso ir assim para a escola...

{oh pá, eu mereço}

- põe lá o creme que eu tenho aqui um que disfarça o brilho...

- a séériooooo, mãe? qual é? é que já podia ter dito...

{eu a pensar: ora bem a miúda vai saber qual é, estou lixada, lá para sexta-feira está vazio...}

- MC, vira-te de costas...

{fui buscá-lo, pus um bocado no dedo}

- agora vira-te que a mãe põe...

tem que ser minha gente, tem que ser. ah! para quem quiser saber o creme é ESTE.

há quem me chame ingénua, eu acho-me uma burra

 
imagem roubada descaradamente daqui

outro dia alguém me dizia que ainda tenho a candura da adolescência. foda-se, e isso é o quê? é bom? essa porra serve para alguma merda? não acho. como é que mudo esta forma de ser é que não estou a ver... mas, eu chego lá. ai se não chego...

Para nunca mais esquecer que quem manda nesta porra toda sou eu


terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

acabei de receber um email

que me deixou cá com uns nerbus, amanhã estou lá às oito e meia e vou partir aquilo tudo. não vai resolver nada, mas vai lavar-me a alma: disso não tenho dúvidas :-)

relativamente ao último post

é lógico que foi o meu cão que me saltou para cima :-)

eu sabia


quando vesti as calças brancas de manhã, pensei logo: hoje vai ser dia do gajo ver-me e saltar para cima de mim. coisa que ele sabe que detesto e que está terminantemente proibido de fazer. pois, foi o dia.