quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

A quem pergunta...

... porque não escrevo, onde andam os posts diários. Não vos sei responder, não sei mesmo. Aquele poema - mais abaixo - do Fernando Pessoa, descreve o que sinto agora: cansaço. São coisas da vida que não posso posso e não devo partilhar aqui. É algo que está aqui na minha alma e que não me apetece partilhar. Não é algo, é tanta coisa.
Quem já me lê há muito sabe que eu sou assim. Tenho uma relação esquisita com a escrita: quando não estou bem, escrevo menos.
Sinto-me desajustada neste mundo. Aliás, sempre senti. Olho à volta e sinto-me desconfortável. Apenas a minha filha e o meu trabalho me preenchem. Ah e claro as minhas verdadeiras amigas. Ando cansada, muito cansada. Tenho a alma cansada de tanta merda, de todas as batalhas que me aparecem à frente, todos os dias. E quando digo todos os dias, não é força de expressão, é todos os dias mesmo. Estou farta de gente oca, sem alma, sem sentimentos, sem escrúpulos, gente egoísta que só olha para o seu umbigo e a sua vidinha de merda, que só pensam neles, que não conseguem colocar-se no lugar dos outros, de gente que não consegue lembrar-se de ser criança e descer ao nível de uma de 11 anos, de gente inconsequente... enfim, gente estúpida. Existem aqui, existem na minha vida real (que aqui vêm todos os dias)... e são esses que não me apetece que me leiam.
Há ainda quem me leia e que perante a minha ausência aqui no blogue, gostaria que me procurassem. Mas, nem isso corre de feição (adoro esta expressão!).
Depois, há ainda um terceiro "tipo de pessoas", que me ligam quase todos os dias e dizem: encosta aqui a tua alma! São pessoas que não fazem parte do meu dia-a-dia, mas que estão ali sempre!
Eu não tenho nada, ou melhor, tenho tanta coisa, mas que não me apetece escrever, nem falar. Ficam aqui dentro, dentro daquilo que tenho de maior: a minha alma. Tudo se vai resolver e eu vou voltar, aqui, noutro blogue, em algum lado. Para já, vou ficar aqui quieta.


"O que há em mim é sobretudo cansaço
Não disto nem daquilo,
Nem sequer de tudo ou de nada:
Cansaço assim mesmo, ele mesmo,
Cansaço (...)"

6 comentários:

Drinha disse...

Querida apesar de andar sem tempo e quase não ter feito comentários, já tinha pensado o que se passaria contigo...quanto ao poema, escrevi-o outro dia, para mim mesma e também encaixou na perfeição...Beijo grande

QUIM disse...

Que fiques bem..todos temos esses momentos....em que ligamos o f****-se..bjs ..que seja doce.

ana de papel disse...

As tuas seguidoras são umas burras! Então quem escreve "Sinto-me desajustada neste mundo. Aliás, sempre senti. Olho à volta e sinto-me desconfortável. Apenas a minha filha e o meu trabalho me preenchem. Ah e claro as minhas verdadeiras amigas" é normal??? SE DIZES Q TENS TRABALHO, UMA FILHA, E AMIGAS, QUEIXAS-TE DE QUê??? Ah, e hás-de dizer qual é a empresa de eventos em que trabalhas em Leça, é qque palmilhei-as todas e não têm nenhuma Rita a trabalhar. A verdade há-de se saber dondoca. TÁS É DESESMPREGADA E HÁ MUITOOO TEMPO, ou pensas que não me lembro de uns posts teus à uns meses atrás. AS gajas que cá vêm é que são tão lerdas que nem se apercebem dos disparates que vais escrevendo, vomitando. Já percebo bem pq o ALMOR te pediu um tempo. Ele deu-te foi com os pés!!! E agora que vais ficar sem subsidio?? Vais voltar para casa dos pais??? Vai arranjar trabalho Rita, já viste bem a tua cara? A tua roupa de 3ª categoria?? És uma badamerda que não consegue arranjar nem homem nem trabalaho ficasa a coçá-los o dia todo. DEpois a tua filha não há-de ser burra lá na escola. DEve ter vegonha da mãe. Ai se as tuas seguidoras soubessem o que tu e eu sabemos!!!!!

Maria disse...

Ohhh, não liges a pessoas estúpidas, a maior parte dos que aqui veem gostam de te ler.
Fica bem.

mjoaob disse...

São fases depois passam. Bjinho gde para ti e vou pedir ao meu universo que te ilumine.
<3

Marta disse...

queremos a Rita de volta :)
beijinhos