quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Contem-me coisas...

Contem-me histórias de amor, contem-me coisas boas, façam-me rir, sorrir, chorar de emoção. Façam-me sentir, por favor. A minha vida anda tão parada... :) Pode ser para o email. Façam-me sonhar.

12 comentários:

Cor De Algodão Doce disse...

Não é só a tua vida que anda parada!
Também me sinto assim!
Às vezes sinto que a vida me está a passar ao lado, e que eu estou apenas sentada a assistir, na primeira fila.. quando a minha maior vontade é agir...fazer acontecer!!
Só ainda não sei bem é como! ;)

Mónica disse...

namoro há quase 10 anos. o que na minha faixa etária (35, sniff sniff) é um milagre. Vivemos juntos há 4 ou 5 (nem sei!). Somos pessoas totalmente opostas: eu sou de esquerda-centro, ele de direita conservadora; eu adoro Coldplay, ele Chico e Gabriel; eu sou Nadal, ele é Federer; eu adoro dar e receber presentes, ele nem aí; eu sou pontual, ele não tem respeito algum pelas horas; eu odeio entrar na cozinha, ele ama cozinhar; eu não suporto o melhor amigo dele, ele matava pelo melhor amigo; eu vivo para ler e fazer compras; ele nem uma nem outra; eu sou agnostica anti-clerical, ele é católico porque sim; eu odeio autoridade, ele respeita as instituições; eu sou Barça, ele é Real Madrid; eu sou Messi, ele é CR7; eu sou Londres, ele é Munique.
Tirando "isto", partilhamos a boa disposição (quando estou pra' ai virada), o Benfica, o Rugby, o Rio de Janeiro, silencio.
Têm sido 10 anos de muita loucura, "braba" mesmo. Desde o inicio que a relaçao foi pautada por problemas exógenos, que culminaram comigo a viver sozinha, desempregada. Nestes anos, passámos de bons empregos (remuneração), a situações muito menos simpaticas. Ambos já tivemos 2 vezes desempregados. Eu fui vitima de assedio moral no trabalho alguns anos. Ainda não me recompus. Tenho a autoestima destruida e fiquei com sequelas fisicas. Deixei de socializar, coisa em que ele está na maior. Adiámos passos de vida (viagens - eu; ter filhos - ele).
Mas a verdade é que bem ou mal, e muitas vezes mal, por não saber lidar com as coisas "novas", ou +porque vê as coisas de modo diferente, estamos juntos, temos ataques de riso brutais, e sabe bem dormir de mão dada com ele. Não é fácil,mas face as circunstancias, face às diferenças de modo de estar e ao espirito independente de cada um, bem vistas as coisas, temo-nos aguentado bem.
bjo.

Cor-de-Rosa disse...

Um pequeno contributo sobre o Amor…
Se falar de amor é uma tarefa difícil, então escrever sobre amor é uma ilusória pretensão…Não se pretende fazer uma revisão da literatura sobre o tema, nem discutir teses ou opiniões, apenas que estas linhas surjam como se pensa que o amor deve fluir: livremente.Se se fala de amor desde que se fala de vida e se se fala de vida desde que se fala de morte, então fala-se de amor desde que se fala de morte. Este poderia ser perfeitamente um dos silogismos de Aristóteles e Platão. Mas, tal como os que são vulgarmente conhecidos através da lógica de Aristóteles, também este é digno de refutação…Falar de amor significou, no passado, falar de morte, de desgosto e de sofrimento. Lembremos a literatura clássica, o romance de Romeu e Julieta ou a poesia de Bocage.Platão, Aristóteles, Kant, associavam o amor à perda, à ausência; Shakespeare, à separação, ao desespero; Bocage, ao desprezo, à solidão. Para Camões, era “um fogo que arde sem se ver”; para Florbela Espanca era “alma, sangue e vida”; Para Ricardo Reis era “toque, carne”…O amor está nas páginas dos livros, nas letras das músicas, nas imagens da publicidade, está em todo o lado, depende apenas do prisma através do qual o vemos.Eduardo Sá, fiel descritor da realidade dos nossos dias, apresenta-nos seis amores, defendendo o sexto como sendo o especial, o único. Pessoalmente, concordo.Penso que se se analisar a realidade actual, encontramos um retrato fidedigno do que é o amor, sem adereços, sem falsos moralismos, afinal já lá vai o tempo dos amores prometidos à nascença.O amor existe. Sem a menor sombra de dúvida.Existe nos momentos em que se sonha acordado, com a realidade que se quer construir, um dia.Existe na mão invisível do pintor que borra o céu em tons de rosa, enquanto os condutores na sua azáfama, nem se apercebem do cair da noite.Existe na delícia de um gelado que se saboreia em pleno Inverno.Existe nas horas em que, incógnitos, passamos horas em frente à montra da loja de artigos para bebé.Existe naquela letra de música que gritamos a plenos pulmões, na certeza de ter sido escrita para nós.Existe em todas as promessas, feitas em silêncio.Existe no toque firme da paixão.Existe no olhar do homem que venera o sono da sua mulher, na esperança de vislumbrar uma curva, quente, da sua silhueta.Existe, nas lágrimas que correm, à chegada e à partida.Existe no animal que dorme, tranquilo ao nosso colo, confiando na mão que o acaricia.Existe nas plantas que germinam, fruto da paciência e da dedicação.Existe na lembrança, na saudade.Existe nas cores, nos sons e nos cheiros que provocam sorrisos pela recordação de quem se ama.Existe na coragem necessária para afastar o objecto do nosso amor, empurrando-o na luta pelos seus sonhos.Existe na força com que se escolhem as melhores palavras para esconder o desespero que a ausência provoca.Existe na loucura de dizer “adeus”, quando se quer dizer “fica”.Existe na insanidade de confiar no outro, como em nós mesmos.Existe na entrega total, de saltar sem rede, começando tudo de novo, infinitas vezes.Existe na febre com que se diz “para sempre”, na consciência das dificuldades do amanhã.Existe na mão do homem, que toca firme, na barriga da mulher onde cresce a esperança.O amor existe.É vida.É onde tudo começa, onde nada termina.Casámos, meu amor, porque te sinto em mim.

Este Blogue precisa de um nome disse...

Mónica

Wowww... li o texto de uma enfiada. Mas no fim, sorri o que tens é a vida com o bom, o mau e o mais ou menos. Mas estão aí - juntos!

Cor de Algodão Doce

Eu não sinto que a vida me passa ao lado, eu sinto que estou há demasiado tempo sozinha, mas que vai valer a pena porque esta espera é por alguém muito especial :)

Cor De Algodão Doce disse...

Gostava de pensar como tu!! ;)

Ana Santos Silva disse...

Eu gostaria de partilhar coisas... mas tudo é estranho... Todos os dias se passa algo de novo, e tudo sempre igual. As pessoas entram na minha vida, mas não saem, nao querem sair... mas tb nao querem ficar... Estou sozinha, sem aquele amor que sei que está à minha espera! Sinto-me como um pudim, que poem em banho-maria, e deixar ficar! Num dia amam-me, no dia seguinte têm medo de arriscar, mas no outro dia já têm mais coragem, e depois voltam a recuar! Confuso, nao?! O certo, é que no meio de tudo isto, já tenho muita história para contar, porque se num dia tenho nada, no dia seguinte tenho pelo menos um gesto, uma palavra que me enche a alma;) Acima de tudo eu vivo a vida, e agarro todas as oportunidades que ela me dá. Sou adepta ferrenha do "nada acontece por acaso", e sei que um dia voltarei a ser muito feliz, como já fui um dia, mas com mais maturidade e serenidade;)
Beijos

Miss Pink disse...

Se quiseres saber a minha desgraça amorosa passa no meu blogue...confissoesnaareia.blogspot.com

Amo o meu melhor amigo e ele não me ama. basicamento isso! fomos namorados 1 ano e ele disse que gostava de mim mas não sabia bem, que achava que era pouco...ao fim de 15 dias do fim da nossa relação..já tem aí uma atracção por outra... passa no meu blogue, vais perder tempo mas...vais ver o meu azar!

mjoaob disse...

É bom sonhar. Gosto de o fazer e mesmo nos dias em que acho que a minha vida parou sei que não. Sei que só estou a dar tempo para ELE ajustar o passo com o meu.
E só vou acordar deste sonho quando ele se realizar. Acredita. <3
bjito e um sonho iluminado para ti

HM disse...

Olá. Eu tenho uma situação parecida com a Monica.. Na maior parte ou em quase tudo temos opiniões contrárias! As vezes ate já nos rimos... Quando estamos bem humorados...casados há 14 anos...mas cada dia e um dia.. Temos bom humor... Mas feitios muito complicados! Com duas crianças com o stress do trabalho as vezes e difícil..e penso o que fazemos juntos! Sinto que caminhamos numa estrada e em sentidos diferentes... Eu o trabalho, os miúdos, a casa e todas as preocupações... Ele nos seus múltiplos trabalhos/afazeres e o que sobra e para brincar com os miúdos! Nesta situação as vezes ainda me sinto culpada porque acho sou muito exigente... Enfim... As vezes a vida... Vai passando e nos nem damos conta... Um dia de cada vez mesmo..apesar de tudo amo-o muito!

Este Blogue precisa de um nome disse...

Cor-de-rosa:

Fiquei encantada com o teu texto. Foi escrito só para comentar o post?

Beijo

Este Blogue precisa de um nome disse...

Já vi que não, já o li. muito obrigada pela partilha, cor-de-rosa. :)

Beijo

Cor-de-Rosa disse...

Olá!
Não foi escrito propositadamente para o comentário, pois quando li o teu post lembrei-me imediatamente deste texto que escrevi e li no dia do meu casamento e que por vários motivos (e agr q penso nisso, nenhum deles suficientemente válido) ficou "perdido" e largado desde esse dia...Quando fizeste aquele apelo, foi para mim uma mola de impulsão que fez o meu motor de arranque trabalhar...Talvez o meu blog (parado desde essa altura) renasça ou então talvez vez dê uma grande volta à minha vida...Afinal, como é que exactamente em dois anos tanta coisa mudou?