sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

As pessoas de 2010

Mãe: Obrigada por tudo. Sei que por vezes não sou a filha ideal, mas gosto muito da mãe. Que continuemos assim muitos anos. Obrigada por tudo à MC.

F.: Sobretudo agora no final do ano foste irmão mesmo. Às vezes discutimos, mas acaba sempre tudo bem. Não podias ser melhor padrinho para a MC, uma mistura de pai com irmão mais velho.

MC: Sem palavras, minha filha. A tua maturidade surpreende-me todos os dias. Todos. Outro dia perguntaste-me: Mãe, tem orgulho em mim? Tenho, filha, muito. Daqui até às estrelas.
J.: Chegaste à família este ano. A tua serenidade, calma e frescura trouxeram uma lufada de ar fresco. Vens de um lugar com costumes totalmente diferentes dos nossos, mas adaptaste-te muito bem. Até já português falas. Que aqui fiques por muitos e muitos anos.

F.: Chegaste como um vendaval, entraste na minha alma e desarrumaste tudo. Foste tal como chegaste: de forma inesperada. Ainda ando para aqui a arrumar umas coisas. Mas digo-te: gostei de ser desarrumada e de sentir o que senti. Obrigada, bom 2011. Tal como te disse no último email, não te desejo mal nenhum.

B. : Costumo dizer-te que me dás mais trabalho que a minha filha. Mas é mentira, todos os dias amadureces, eu vejo isso. Tenho muito orgulho em te ter como amiga e os teus filhos são como se fossem meus sobrinhos de verdade. Obrigada pela tua amizade e por estares sempre que preciso.

M.J.: Então, spot? Obrigada pela amizade, pelo carinho, pelas conversas, pelas lágrimas, mas sobretudo pelas gargalhadas. Este último ano rimo-nos como umas perdidas. Que este ano te leve para outro continente, mas mantenha a nossa amizade. E tu já sabes que alguma coisa quero escrever lá.

L.: Obrigada pelas palavras, pelos abanões. Sei que por vezes parece que não os entendo, mas olha que entendo tudo. E sei que estão todos ao meu lado e da minha filha - até, quando não parece -, eu sei. Gosto muito de ir aí a casa e de sentir que aí há um lar. Parabéns pelo que construíste. Gosto dos teus filhos como se fossem meus.

T.: A ti desejo que 2011 consolide tudo o que te trouxe 2010, que felizmente o último ano foi bem generoso contigo. Obrigada por seres tão minha amiga, mesmo que à distância

M.: Obrigada minha doce amiga. És uma amiga que tens a aura da paz contigo e isso faz-me tão bem. Trazes tranquilidade, carinho e claro, bolo de fubá, aos meus dias. Obrigada. Que Deus acalme a pestinha do teu filho, para não interromper tanto as nossas conversas. :-)

B.: Só nos conhecemos este ano. Numa tarde chuvosa e fria de Março na velhinha Ribeira. Segurei-te a porta para entrares e assim entraste na minha vida. Obrigada. E vamos lá aos negócios, que a vida espera-nos e o tempo urge. Obrigada pela tua amizade e pelos raspanetes.

A.: a minha amiga que anda sempre a rir. Este final do ano foi tramado para ti, eu sei. Mas tudo vai ficar bem. Eu vou estar sempre aqui. Sempre.

A. e J.: Sem o vosso saber técnico não sei o que faria, não sei mesmo, mas nem é tanto esse que quero agradecer, é a vossa amizade, o vosso apoio, por vezes às horas mais impróprias do mundo. Obrigada.

R.: Uma vez disseste-me: não sei se somos os melhores vizinhos do mundo, mas gosto de o ser. Faço minhas as tuas palavras, gosto muito de te ter como vizinho. Em 2011, vou continuar aqui, à distância de um lanço de escadas.

C.: Obrigada por tudo, tudo mesmo, mas sobretudo pela amizade a mim e à minha filha. Nunca mais vou esquecer aquela mensagem.

Aos meus (outros) amigos que não tiveram tão presentes este ano: em 2011 vou estar mais vezes e mais tempo com vocês. Prometo.

2 comentários:

Susaninha disse...

RITINHA DESEJO-TE UM 2011 CARINHOSO...COM MUITA GARRA (QUE TU TENS)....
MUITO AMOR:)
E AMIZADE:)
Vaiii ser um ano especial...vai mesmo:)
SUUUUUUUUUUUUUrrisinhos:)

Teresa disse...

...não sei se este T. sou eu, mas encaixa perfeitamente. mesmo que não seja, obrigada por alguns momentos de 2010. espero por novos em 2011 :)!