quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Ando a adiar há uma semana duas conversas: uma profissional e outra pessoal. Incomoda-me esta sensação de ter coisas atravessadas na garganta, mas acho que vou incomodar-me muito mais quando as tiver.
Às vezes até acho preferível fingir e deixar passar. Mas depois penso: não posso, isso nada tem a ver comigo. Acham muito mal escrever a essas pessoas? Ou é uma coisa completamente ultrapassada? Preferia escrever. Dá tempo a quem lê de pensar. Acho que é o que falta às pessoas, pensar. E conseguirem pôr-se no lugar do outro.

9 comentários:

Susaninha disse...

Ritinha ontem depois da minha massagem que estava completamente zen, consegui aborrecer-me,porque não consigo estar calada.
Mas tambgém não consigo fingir que nada passa....
Atormenta-me ficar aborrecida...Mas também não consigo fazer de conta...
E o que será melhor????

Cada vez mais acho que as pessoas não se conseguem por no lugar do outro....
Precisava de outra massagem:)
SUUUUUUrrisinhos:)

Anónimo disse...

Considero uma optima ideia. Com a carta consegues ser mais sincera e escrever tudo o que te vem à cabeça e, assim, essa pessoa consegue reler e reler a tua carta com todo o tempo do mundo. pensando no que errou. :)

Mary disse...

A nível profissional acho sempre preferível, com toda a calma, ter uma conversa cara a cara, para não dar ideia de medo. a nível pessoal, acho que tanto uma como outra são boas. Neste momento também tenho um draft de um email que tenho vindo a aperfeiçoar com umas útlimas palavras que quero dizer a uma pessoa, que também não sou de ficar com coisas entaladas. Curto e certeiro, que é para que não parar de ler a meio e ficar com as minhas palavras bem gravadas na cabeça.

Patrícia disse...

Mesmo que lhes escrevas não será por isso que elas se irão colocar no teu lugar. E embora também já tenha estado no teu lugar e também tenha ponderado escrever, acabei por falar e afinal até tive surpresas muito agradáveis. Boa sorte!

Montana disse...

A nivel profissional é sempre melhor um cara a cara. Mas pensa bem em tudo o que queres falar.
Boa sorte.

ML disse...

A nível pessoal uma carta, um texto, um email mais pessoal que seja, cai bem. Conseguimos ser sempre mais espontâneas e sinceras. Falar (escrever) com o coração.

Mr. Me disse...

A nível profissional não aconselho, ainda que se os intervenientes sejam ocupadissimos.
A nível pessoal, é carinhoso e mostra preocupação em manter o contacto e resolver situações.

BTW,

Estás oficialmente notificada para responder ao desafio que está no meu blogue! ;)

Beijo!

MissBlueEyes disse...

Rita acho que faz bem escrever! Mas depois arrisca-se a ficar sem resposta, como normalmente Eu fico quando escrevo mails ao meu chefe a mostrar o meu desagrado perante alguma situação, e depois penso, fonix, tive imenso tempo a escrever, disse o que pensava e o cabrão cagou-me na cabeça! E ainda fico mais revoltada!!!

Por isso avalie bem a situação! Mas engastada, isso não deve ficar!

Boa sorte!

Feiticeira disse...

Nao sei o que fizeste, mas nao escrevas... Fala, com calma e tranquilidade e da tempo a outra parte para reagir. escrito fica para sempre e ha conversas que tem um contexto e depois podem ser tiradas de contexto!

(a pessoal acho que podes escrever, nao te comprometes porque es tu, mas profissionalmente nem sempre podemos ser nos de verdade)