domingo, 21 de março de 2010

Poucas foram as pessoas que me tocaram na alma. As que o conseguiram, só o fizeram com a minha ajuda, logo não conta.
Gostava de ser mais superficial, ia ajudar-me bastante na vida: não sofreria tanto com toda a certeza.

Gostava que me rasgassem a alma de alto a baixo, sem pedir licença, sem manhas, sem subterfúgios, que cheguem e a rasguem como uma folha de papel, me deixem um sorriso e já agora que fiquem.

4 comentários:

Verduxa disse...

Ainda no outro dia dizia a uma amiga que precisava de alguém que me "rasgasse a alma" - mas ao que parece essa "espécie" deve estar em vias de extinção ou migrou para outro lado, bem longe daqui...

Miguel disse...

E isso é o quê?

É que eu, se calhar, também quero o mesmo que tu mas não estou bem a ver o que é uma mulher chegar a mim e me "rasgar a alma".
Até porque isso, acho eu, é o que a ultima fez quando foi embora! Rasgou-me a alma, o coração, os sonhos, essas merdices todas!

Mas ela tinha-me tocado a alma. E eu pensei que tinha tocado a dela. Afinal não! Se calhar foi ela que não deu essa ajuda que falas, mas se desse também não contava, não era?
Mas numa coisa estamos juntos, Rita! Eu também gostava de ser mais superficial, como um amigo meu, por acaso aí do Porto, que no fim, ainda deitado, lhes dizia: quando saires fecha a porta... Pelo menos era o que contava!
Mais superficial que isto... acho dificil! Mas ele também dizia outras coisas, que às vezes não me pareciam tão superficiais assim... Dizia, por exemplo, que muitas vezes percebia bem demais o que sentiam algumas "gajas boas" a quem os homens só olhavam para as comerem...
Enfim, Rita, no fundo somos como somos mas isso nunca nos satisfaz completamente... Talvez o problema esteja em nós... Talvez se soubessemos o que queremos, se lutassemos mesmo por isso, se dessemos valor a nós, ao que somos e soubessemos olhar com olhos de ver quem passa por nós... Talvez, Rita, talvez, as coisas pudessem ser diferentes!

E tu? Já tocaste a alma de alguém? Já quiseste dar e não pedir nada? Já quiseste ficar, chovesse ou fizesse sol?
Já olhaste para alguém com olhos de ver? Já conseguiste passar para além da pele, daquilo que é visivel a olho nu?

E o tal vizinho?

Sorry!
Acho que me alonguei em tanta pergunta...

Beijinho

susie disse...

Olá Rita!
Há já algum tempo que passo aqui, mas até hoje ñunca tinha tido coragem de comentar...adoro ler o que escreves e maior parte das vezes identifico-me com o que escreves.Espero sinceramente que ocnsigas encontrar esse alguém, se bem que acredito que cada vez mais isso é dificil....mas espero bem estar enganada.
beijinho

Este Blogue precisa de um nome disse...

Não sei se já toquei a alma de alguém ou se só me dei com pessoas superficiais... não sei responder a isso... espero que sim eu senti que sim, a algumas... Mas serão essas pessoas as melhores para responder a isso...

Rasgar a alma é tocar-lhe mas não ao de leve é querer entendê-la é querer ficar faça sol ou chuva, usando palavras tuas, é querer gritar o que se sente e não esconder, é não viver com medo... sei lá é tanta coisa inexplicável que não dá para pôr em palavras...